terça-feira, 29 de julho de 2014

P A R I S






Tens uma magia, que não dá para explicar

mas ao te ver, na tela do meu pensamento,

tenho vontade de voltar e ficar...

não sei por quanto tempo,

mas quero respirar teu ar,e olhar os rostos que vejo ao caminhar,

e apreciar tua paisagem, teus jardins floridos,

sentar num banco e sentir o perfume

que paira no ar.

Quero olhar os rostos que passam por mim

sombrios, enigmáticos, 

sorridentes ou apaixonados,

como eu por ti...

Um dia hei de ir e lá ficar

e te amar, assim, como agora,

nesse espaço vazio, saudoso,

onde cabe apenas o desejo de voltar.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

B U S C A



Mergulhei no mais profundo

do meu ser,

à procura da Luz

e ela surgiu em mim

como um céu dourado ao amanhecer.

Procurando respostas eu as encontrei

e vislumbrei

novos caminhos,

e Te agradeci,

oh, Ser que denominamos Deus,

e se revela

no sorriso de uma criança,

no desabrochar da flor

no resplendor

de uma manhã de sol...

Não estás além, distante,

mas em toda parte,

nas artes,

nos mares, montanhas e florestas,

na semente que brota,

na água que jorra da fonte.

És o princípio, meio e fim

por isso eu sei

que estás aqui, dentro de mim!


quinta-feira, 15 de maio de 2014

JORNADA




Vim de países frios.

Minha história talvez não interesse

a ninguém, somente à mim.

Muitos duvidarão,

mas eu não

pois tenho plena convicção

de que as vivi.

Temos somente uma vida?

Creio que não

São muitas.

Ao longo dos séculos

eu a escrevi, 

em vários sonhos e capítulos,

em recordações que me vêm à mente.

Quem sou eu?

Somente eu sei.

Os outros, o que sabem de mim?

Apenas que estou aqui.

E os que me cercam,

me conheceram, sim,

mas não se lembram por que vim...


sexta-feira, 9 de maio de 2014

À ESPERA




Já fui rosa em botão
desabrochei para a vida,
encontrando o amor em teus braços
me dei inteira, com ardor, com paixão

Espalhei pétalas pelo chão
onde pisaste, cauteloso,
abrindo teu coração.

E assim nos tornamos rio,
desaguando num mar ardente

Até que uma onda, mais forte,
te levou para longe de mim.

Agora já não sou onda, marola, espuma ou corrente
Sou apenas concha fechada que aguarda
a hora de me deixar levar novamente.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

VIAJANTE


 
 
 
 
Sinto uma estranha saudade
 
Não sei de onde.
 
Vontade de voltar para algum lugar,
 
Só não sei pra onde.
 
É como se eu tivesse partido
 
e não soubesse voltar...
 
É uma tristeza tão grande,
 
de uma terra distante
 
que eu não sei onde fica
 
Só sei que estou aqui,
 
como viajante,
 
e alguém ou alguns me esperam
 
De volta pra casa,
 
minha casa distante...